Semear ideias ecológicas e plantar sustentabilidade é
ter a garantia de colhermos um futuro  
fértil e consciente!

Maranhão - (98)3274-1145 / 3274-1237 / 98789-2135

Piauí - (86) 98184-7844 / 99477-2937 / 99803-3774

Rio Grande do Norte - (84) 3631-8059 / 3631-8145 / 99128-2077

Tocantins - (63) 99911-5204 / 99111-7350 / 99994-8783

Sergipe - (79) 99809-5151 / 98111-6269

Bahia - (81) 98137-5151 / 99184-4555

Alagoas - (82) 98204-0785 / 99101-7679

Paraíba - (83) 98184-5151 / 99104-6032

Ceará - (85) 99186-1022

Pará - (94) 99174-6498 / 99215-4747

Pernambuco - (81) 98137-5151 / 99184-4555

 

Data: 30/08/2017.

 

Esse quadro deve se alterar apenas no último trimestre do ano, quando chega ao mercado o segundo giro de animais confinados. Enquanto isso os frigoríficos permanecem com suas escalas de abate posicionadas entre dois e três dias úteis. Segundo a Scot Consultoria, em São Paulo a semana começou com mercado firme e pagamentos acima da referência.

Na região, a arroba do macho terminado fechou em alta, cotada em R$ 139,50, à vista, livre do Fundo de Apoio ao Trabalhador Rural (Funrural). Em relação ao início do mês os preços estão 12,5% maiores. Altas acima de 10% para a arroba do boi gordo, desde o início de agosto, também são comuns em Goiás, Mato Grosso do Sul e Rondônia. Já o mercado atacadista apresentou preços estáveis. São esperados cotações mais altas no setor já na primeira quinzena de setembro devido ao repique tradicional de consumo das duas primeiras semanas de cada mês.

A quantidade total de carne bovina in natura exportada pelo Brasil em agosto (19 dias úteis) chegou a 100,8 mil toneladas, com média diária de embarques de 5,3 mil toneladas. Na comparação com julho, houve um ganho 4,7% na quantidade média diária exportada. Em relação ao mesmo período do ano passado, a alta foi de 48% na quantidade média diária, segundo o Ministério da Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). O mercado cambial foi fraco de uma maneira geral, com investidores na expectativa de indicadores mais relevantes. Aqui dentro o dólar deve ter uma semana mais volátil, típico movimento de final de mês.

A possibilidade da Procuradoria Geral da República (PGR) denunciar novamente o presidente, Michel Temer até setembro foi um dos fatores que segurou o câmbio no Brasil. Lá fora, a expectativa é com os dados do produto interno bruto (PIB) e da inflação dos Estados Unidos que serão divulgados durante a semana. No final do dia o dólar comercial terminou negociado a R$ 3,164 alta de 0,25%.

 

Fonte: ABRA

 

© Copyright 2017 - Todos os direitos reservados para INDAMA